Hackathon realizado em Santos exige especialista em blockchain nas equipes

Recentemente, o CriptoFácil noticiou que o Porto de Santos utilizará a TradeLens, blockchain desenvolvida pela IBM em parceria com a Maersk, gigante global no ramo de logística.

Ainda envolvendo o Porto de Santos, entre os dias 07 e 08 de dezembro deste ano será realizado o Porto Hack Santos. Trata-se de um hackathon organizado pela entidade portuária que premiará a equipe vencedora com R$60 mil e a vice-campeão com R$12 mil.

O objetivo do evento, segundo o portal de notícias Inova.jor, é promover o desenvolvimento digital do Porto de Santos. Dentre os inscritos, serão selecionados 10 times, cada um devendo conter seis integrantes.

O hackathon será composto por dois desafios: o primeiro será a criação de soluções que integram planos de emergência de órgãos governamentais dentro do Porto de Santos. O intuito é obter uma solução para problemas decorrentes de desastres envolvendo trabalhadores, a população ao redor, terminais e cargas.

Em seguida, deverá ser criada uma solução tecnológica capaz de agilizar o deslocamento de cargas e reduzir custos para os terminais.

Quanto aos participantes das equipes, a organização do Porto Hack Santos exigiu que cada figura de uma equipe fosse especialista em uma área. Além de negócios, marketing, service design, desenvolvedor front end e desenvolvedor backend, cada equipe deverá contar com um especialista em tecnologia blockchain, inteligência artificial ou internet das coisas (IoT).

Isso pode significar que a adoção da TradeLens não é o fim do caminho para a adoção de tecnologia blockchain dentro do Porto de Santos, que almeja continuar buscando inovações tecnológicas envolvendo a tecnologia por trás das criptomoedas.

Aos interessados, as inscrições podem ser feitas até 06 de novembro, no site oficial do evento.

Fonte: criptofacil.com



Adicionar Comentário