Ministro da Infraestrutura diz que “Brasil é a bola da vez” na abertura do Fórum Nacional do Santos Export

“Estamos alertas a receber sugestões nesse momento para que o Porto de Santos continue sendo grande, mas que tenha capacidade para que todo seu potencial seja explorado. Isso vai ser construído a várias mãos, a abrangência da concessão, a nova natur3eza da Autoridade Portuária. Há questões em abertas, temos muitas dúvidas e temos todo interesse no modelo que vai gerar o melhor valor para caminhar na direção segura do crescimento para que continue sendo o gigante e a potência que é”.

Esse foi um dos destaques da fala do Ministro Tarcísio Freitas, Ministro da Infraestrutura, na abertura oficial da 17ª Edição do Fórum Nacional para Expansão do Setor Logístico Portuário – Santos Export. O evento durante dois dias traz painéis focados em temas como fluxo logístico portuário, tecnologia e inovação, logística, multimodalidade, gestão, regulamentação e as barreiras que travam o comércio.

O Ministro ressaltou que o mundo parou de crescer, está em uma velocidade menor, e as economias centrais estão respondendo a isso por meio da revisão frequente, contínua de suas metas: “Os nossos projetos estão se tornando cada vez mais vantajosos aos olhos do investidor nacional e estrangeiro. Temos observado o aumento do fluxo de capital e uma convergência interessante entre a política fiscal, o esforço de redução dos gastos públicos e a política monetária. Temos observado também a redução contínua da taxa de juros. Estamos criando as condições para dar o salto”.

Segundo Tarcísio, o Congresso tem trabalhado muito e fez excelente trabalho na Reforma da Previdência, que agora também está passando no Senado Federal, que vai nos dar um impulso e a alavanca para dar a resposta para o mundo que nós temos o compromisso com a solvência, com a saúde fiscal: “E outras reformas estão acontecendo. Temos uma reforma do sistema financeiro sendo projetada         no Banco Central, que vai atuar na relação débito/crédito em relação aos outros países do mundo e atuar significa que será possível investir no aumento da produtividade econômica. O que a gente pode esperar é uma melhora da nossa percepção de risco, um aumento da credibilidade que vai convergir no aumento do investimento. Teremos uma aceleração do crescimento econômico, uma melhora no que diz respeito à nota de risco”.

Durante sua fala, o Ministro foi bem otimista: “Estamos tendo a coragem de enfrentar as questões da tributação sobre os ganhos de capital, do risco cambial, as questões de risco no meio ambiente. Todas essas questões estão em projetos muito bem estruturados e vão despertar o interesse do investidor na atual conjuntura. E por isso o Brasil é, de fato, a bola da vez”.

Para Tarcísio, no setor portuário não poderia ser diferente: ” Vamos fazer 41 concessões de aeroportos, mais três mil quilômetros de ferrovias, estamos fazendo a prorrogação antecipada dos contratos de concessão, temos várias importantes, inclusive no setor portuário e ferroviário. Já são 22 milhões de toneladas que vêm do Mato Grosso para Santos via ferrovia, e mais cargas virão. Estamos fazendo um redesenho da nossa matriz de transporte. Ainda no setor portuário tivemos com sucesso o arrendamento de 13 arrendamentos portuários, alguns no Porto de Santos”.

E os planos não param. O Ministro afirmou que sua equipe já está trabalhando em arrendamentos para o ano que vem e pensando no futuro.”Estamos muito animados com esse futuro e com a Agenda construída paulatinamente com o setor privado vem ganhando forma. Avançamos na questão das poligonais portuárias, medida necessária para trazer segurança jurídica, um pleito do setor privado. Editamos a portaria 530 que dissipa, de uma vez por todas, qualquer dúvida que pairava no decreto de portos.

O setor privado vem sendo protagonista. Os governos agem por provocação, todo governo, em qualquer lugar do mundo. Nós temos encontrado esse ambiente favorável, temos sido provocados pelo setor privado e estamos procurando transformar essas provocações em ações que respondem”.

Concluindo seu pronunciamento, Tarcísio falou sobre o Porto de Santos: “Estamos assistindo as iniciativas de modernização que estão sendo feitas no Porto de Santos, transformando em um porto 4.0. Assistimos com muita alegria tudo o que está sendo feita por essa gestão para manter o Porto de Santos como um dos portos mais importantes do Brasil. Talvez haja uma dúvida sobre o que será feito agora. Nós somos fãs do modelo landord no setor portuário, mas no momento em que funcione, que traga eficiência e proporcione velocidade na realização dos investimentos. Então, nossa equipe vai buscar o que há de melhor em termos de gestão portuária para trazer para cá. Estamos alertas para receber sugestões nesse momento para que o Porto de Santos continue sendo grande, mas que tenha capacidade para que todo seu potencial seja explorado. Isso vai ser construído a várias mãos, a abrangência da concessão, a nova natur3eza da Autoridade Portuária. Há questões em aberto, temos muitas dúvidas e temos todo interesse no modelo que vai gerar o melhor valor para caminhar na direção segura do crescimento para que continue sendo o gigante e a potência que é”.

Fonte: portosmercados.com.br



Adicionar Comentário